“Os escritores e suas cidades”

domtotal

Confira aqui um texto do poeta Carlos Ávila, publicado em seu blog, do site Dom Total.

Anúncios

“Aquele presente de natal”

O jornalista e poeta Antônio Siúves indica, em seu blog o livro “Uma cidade se inventa”. Confira aqui.

AQUELE PRESENTE DE NATAL

Antônio Siúves

“O livro ‘Uma Cidade se Inventa’, de Fabrício Marques (Scriptum, 350 págs., R$ 75), disponível nas livrarias de Belo Horizonte e aqui, é Papai Noel coisa fina.

Nesta obra extensa, paciente e minuciosa, Fabrício mostra que Belo Horizonte não se distingue da criação literária tramada no tempo, seu mais alto tesouro e lastro no mundo.

O que a cidade é? O livro tem respostas. O que a cidade pode? Leia o livro e responda você.

BH, como toda urbe, sem o oxigênio da criação artística nas veias, não passaria de quê? De dormitório ou, por assim dizer, dum “trabalhatório” mais ou menos fantasma.

Fazer a cidade chiar e contar sobre si mesma — e, além disso — fazer a cidade respirar é papel de romancistas, poetas, intelectuais, artistas.

Tal é a função especializada impressa nas obras, publicações, na arquitetura, na música, no diacho chamado vida cultural.

“Uma Cidade se Inventa” é um profundo levantamento desta arte. A invenção não é moldura, antes é a própria cidade que se conforma e emoldura à criação.

O livro é um luxo com o ensaio do fotógrafo João Marcos Rosa a se ajustar com sobriedade e elegância ao curso da reportagem, em que fluem depoimentos, passagens literárias e os poemas reunidos pelo poeta, professor e jornalista Fabrício Marques.

O autor do blog é parte interessada nisso. Poemas do seu “Moral das Horas” (Manduruvá, 2013) e pitacos sobre Belô acham-se no texto.”

“Terra de Minas” – BH e os escritores modernistas

terra de minas

No último sábado, 12 de dezembro de 2015, O programa “Terra de Minas”, da Rede Globo, apresentou uma reportagem sobre Belo Horizonte, justamente nos 118 anos da cidade. A apresentadora, Juliana Perdigão, privilegiou o período entre os anos de 1920 e 1940, valendo-se de imagens raras, que enriqueceram muito o programa. Fui convidado para falar um pouco da relação entre os escritores e a capital mineira, da geração de Drummond à geração de Fernando Sabino.

Aqui, o primeiro bloco.

Aqui, o segundo bloco.

“Uma cidade se inventa” na SP Review

sao-paulo-review-logo

“Uma cidade se inventa” no “Breve guia de livros desconhecidos”, da São Paulo Review. Confira aqui.

Ronaldo Bressane ― Uma cidade se inventa, do Fabrício Marques (Scriptum), uma antologia de escritores sobre BH.

“É uma ideia a se replicar: juntar escritores importantes para falar do canto especial de suas cidades. Este ano tivemos o Uma cidade se inventa – que junta gente como Humberto Werneck, Carlos Trovão e Ana Martins Marques -, e O meu lugar (Mórula), com bambas do naipe de Aldir Blanc, Álvaro Marechal e Ciça Giannetti. Quem vai fazer o livro de São Paulo?”